CONTOS INFANTIS

Os Três Porquinhos



Era uma vez três porquinhos que viviam na floresta com a sua mãe. Um dia, como já estavam muito crescidos, decidiram ir viver cada um em sua casa. A mãe concordou, mas avisou-os:

- Tenham muito cuidado, pois na floresta também vive o lobo mau, e eu não vou estar lá para vos proteger...

- Sim mamãe! – Responderam os três ao mesmo tempo.

Os porquinhos procuraram um bom lugar para construir as suas casas e, assim que o encontraram, cada um começou a fazer a sua própria casa.

O porquinho mais novo, que só pensava em brincar, fez a sua casa muito rapidamente, usando palha. O porquinho do meio, ansioso por ir brincar com o mais novo, juntou uns paus e depressa construiu uma casa de madeira. O porquinho mais velho, que era o mais ajuizado, lembrou-se do que a sua mãe lhe tinha dito, e disse:

- Vou construir a minha casa de tijolos. Assim terei uma casa muito resistente para me proteger do lobo mau.

É claro que foi o que demorou mais tempo a construir a casa mas, no fim, estava muito orgulhoso dela, e só aí se juntou aos seus irmãos para brincar.

Um dia andavam os três porquinhos a saltar, muito divertidos, quando aparece o lobo mau:

- Olá! Vejo três deliciosos porquinhos à minha frente.

Ao verem o lobo mau, fugiram, cada um para a sua casa.

O lobo, que estava cheio de fome, chegou ao pé da casa do porquinho mais novo, e disse:

- Fome não vou ter, pois apanhei um porquinhos para comer!

Porquinho saia já, se não vou soprar, vou soprar, soprar e sua casa de palha vou derrubar.

E com um único sopro forte, fez a casinha ir pelo ar!

O porquinho assustado correu para a casa do irmão do meio, que tinha uma casa de madeira.

Quando o lobo lá chegou, gritou novamente:

- Fome não vou ter, pois apanhei dois porquinhos para comer!

Porquinhos saiam já, se não eu vou soprar, vou soprar, soprar e sua casa de madeira vou derrubar.

E com dois sopros fortes, conseguiu derrubar a casinha de madeira abaixo.

Os dois porquinhos mais novos correram então, apavorados, para a casa do irmão mais velho, que era de tijolo.

O lobo, vendo que os três porquinhos estavam todos numa só casa, exclamou, louco de alegria:

- Fome não vou ter, pois apanhei três porquinhos para comer!

Porquinhos saiam já, se não eu vou soprar, vou soprar, soprar e sua casa de tijolos vou derrubar.

Então o lobo encheu o peito de ar e soprou com todo a força, e soprou, soprou tanto que ficou cansado, mas a casinha de tijolos não se mexeu nem um bocadinho. Aliviados, os três porquinhos saltaram de contentes. Mas o lobo não desistiu, e disse:

- Não consegui derrubar a casa de tijolos abaixo nem derrubar a sua porta mas eu tenho outra ideia… esperem que já vão ver! E começou a subir o telhado, em direção à chaminé.

Os porquinhos mais novos ficaram aflitos mas o mais velho, que era muito esperto, colocou no fogão a lenha, um grande caldeirão de água para ferver.

O lobo, ao entrar pela chaminé, caiu no caldeirão de água quente e queimou o rabo, fugindo o mais rápido que podia para o meio da floresta. Os dois porquinhos agradeceram ao seu irmão mais velho, e aprenderam a lição.

Deste lobo mau, nunca mais se ouviu falar…

Moral da história
A principal lição de moral aprendida com os "Os Três Porquinhos" é que o trabalho duro e dedicação recompensam. Enquanto os dois primeiros porcos construíram casas rapidamente para ter tempo livre para brincar, o terceiro porquinho trabalhou na construção da sua casa de tijolos. Comparado aos outros dois porcos, um esforço extra feito pelo terceiro porco fez com que a sua casa fosse bem feita, aguentasse as investidas do lobo (sopros) e ajudou salvar sua vida e dos seus irmãos.

Nota
Os Três Porquinhos é uma fábula cujos personagens são exclusivamente animais. As primeiras edições do conto datam do século XVIII, porém, imagina-se que a história seja muito mais antiga.

Joseph Jacobs (29 de agosto de 1854, Sydney, Austrália - 30 de janeiro de 1916) foi um folclorista e historiador australiano que viveu na Inglaterra.

Estudioso do folclore inglês, coletou e pesquisou histórias de tradição oral e publicou os "Contos do Folclore Inglês" (English Fairy Tales) em 1890. Entre os contos estava, o até então pouco conhecido, "Os Três Porquinhos".

Conto: Joseph Jacobs
Foto: A/D - Arquivo OpenBrasil.org

Contos Infantis - OpenBrasil.org

Postagens mais visitadas

Imagem

O Burro e o Cavalo

Imagem

O Gato Herói